"O mais corajoso dos atos ainda é pensar com a própria cabeça"

13/04/2016

E eu achava que era conformismo, achava que estava apenas conformada com a ideia de não o ter mais, que se ele quisesse, tudo voltaria a ser como antes, só nos os dois e as nossas promessas.
Mas, mais uma vez surpreendi-me, depois de voltar a vê-lo ontem, percebi que dei um passo em frente na minha vida, que não estou conformada, estou mais forte que nunca e estou pronto para a minha uma nova etapa sozinha e por estranho que pareça, ele ajudou me a perceber isso.
Na minha opinião quando um namoro acaba e recusam-se a falar um com o outro, tudo torna-se doloroso, afinal o amor não desaparece de um dia para o outro, leva o seu tempo, acabam por sentir vontade de voltar a trás, mas não querem falar, sentem saudades, mas não querem falar, continuam evitado a outra pessoa, mas no entanto continua a doer. E no final tudo torna-se um massacre, porque achavam que podia terminar a relação num dia e tudo desaparecia nesse mesmo dia, mas não é assim.
Eu, felizmente, mesmo sendo orgulhosa, não lhe deixei de falar, desde o momento em que nós separamos, somos bons amigos e mesmo sem notar temos vindo ajudar um ao outro a ultrapassar o fim da nossa relação, não há aquele massacre de sentir saudades, porque ainda temos um ao outro, de maneira diferente, mas dispostos a ouvir e falar, a dar apoio.
Isto é ser fiel...
Obrigada L.


4 comentários:

  1. E era assim que todas as relações deviam de acabar.
    Parabéns são um caso raro!
    Beijinhos,
    www.wordsofsophie.com

    ResponderEliminar
  2. E isso no fim de contas é bom :)


    R : Eu adoro informática, vou entrar em Setembro no curso de Redes e Sistemas Informáticos :)

    ResponderEliminar
  3. Excelente! Isso é difícil de conseguir mas é precioso. Boa :)

    ResponderEliminar